domingo, 24 de julho de 2011

Resenha #2 - Doença e Cura

Essa talvez tenha sido a leitura mais difícil que empreendi na vida. E olha que eu li Heidegger no primeiro ano de faculdade. Por isso eu demorei SEMANAS para terminar. Pra quem já leu um livro inteiro num só dia foi quase uma ofensa pessoal.
E não me entendam errado, o livro não é de todo mal. Eu só me perdia constantemente na história. Se você quer começar a ler Doença e Cura tenha tempo. Pois se você não entender uma parte vai ter que voltar ou no final nada vai fazer sentido. Porque a história é assim. Ela vai se completando aos poucos, vai propositadamente deixando lacunas na mente do leitor. Fabian Balbinot quebrou todas as fórmulas da escrita e criou um estilo sem precedentes. A história não segue nenhum padrão. São 7 capítulos que no começo parecem independentes, mas que no final juntam-se para explicar, afinal, que raio de cura é essa.
Conta-se que vampiros existem e vivem no meio de nós, discretos. Eles tem poderes, capacidades inacreditáveis e a tão conhecida sede pelo sangue humano. E também são vulneráveis ao sol, mas esse é um dos únicos pontos fracos da espécie. Até que, inexplicavelmente, vampiros começam a morrer da forma mais bizarra que se pode imaginar. Órgãos que derretem dentro do corpo, seres que enlouquecem e saem na luz do dia, poderes fora de controle. A resposta parece estar no sangue. Tudo se resume ao sangue. E nas estranhas criaturas rondando os vampiros.
Pode me chamar de antiquada se quiser, mas eu tenho um certo preconceito com histórias que não seguem uma linha. Uma inovaçãozinha às vezes passa. Mas sou daquelas leitoras que tem que ter todas as informações pra prosseguir, sabe?
Se você é do tipo que gosta de vampiros e/ou gosta de livros que quebram paradigmas NÃO DEIXE DE LER Doença e Cura.
E uma coisa que eu preciso dizer, o vocabulário do autor é incrivelmente rico. Dá pra ver que ele teve um cuidado enorme com essa parte.

Na próxima resenha, A Morte do Cozinheiro.

8 maldades alheias:

Sandro Honorato S. disse...

Olá :)
Livro sobre Vampiros?
Adoro *-----*

Beijos e tudo de bom
...................................
RIMAS DO PRETO

MagicJebb (Fabian Balbinot) disse...

Fabian Balbinot, autor de Doença e Cura, falando.

Eu ia escrever um monte de besteira, mas prefiro simplificar, e dizer que ADOREI ser "xingado" por você! E meu livro me deixou ainda mais orgulhoso após ter sido "xingado" por uma resenha tão rica e completa quanto a sua.

A melhor resenha que Doença e Cura recebeu até agora, e que mostra ao leitor que ele não está entrando em apenas mais uma estória de terror, mas sim em um livro que vai fazer um terror com a cabeça do próprio leitor.

"Fabian Balbinot quebrou todas as fórmulas da escrita e criou um estilo sem precedentes"... "vocabulário do autor é incrivelmente rico"... "Pra quem já leu um livro inteiro num só dia foi quase uma ofensa pessoal"... vixe que tô passando mal de ler isso daí tudo. Cadê meu chazinho de camomila!

Excelente, espetacular, amei de paixão! Sinta-se à vontade para me xingar sempre que quiser! =)

Fábio Guolo disse...

Parabéns Lud!
Demorou, mas matou a pau na resenha... hehe...

Eu tb li e concordo com cada palavra!

bjs

Sérgio Cazu disse...

Oi Lud, bom dia.

Gostei da sua resenha, é sempre bom novas indicações e a opinião alheia a respeito de determinado livro. Ainda não li esse livro, confesso que não me despertou o interesse, pois apesar de gostar de miticismo & ocultismo não sou chegado a vampiros, posso dar um desconto por esse não ser semelhante ao Crepúsculo que para mim é falho.
Fiquei curioso com a tal quebra de paradigma que parece ser bem interessante, mas já estou lendo um livro com essa quebra, se chama "We need to talk about Kevin" (Nós precisamos falar com o Kevin), é muito bom, recomendo.

Um lindo dia para você,

Aquele abraço!

Breno Rodrigues disse...

Realmente Ludmila, sua resenha ficou excelente. Você conseguiu passar ao leitor tudo o que é essencial na obra. =D
Essa coisa de capítulos escritos de formas diferentes e que dependem um do outro para que o final seja compreendido me chamou bastante a atenção. Gostei do livro e recomendo.
Gostei também do seu blog e de sua forma de escrever. #seguindo ^^
Parabéns pela resenha!

Bjão ;D
Livretando

♥MáH♥ disse...

Me pareceu bom, de verdade. Só é uma pena eu ODIAR vampiros rsrsrrs
Acho que a mídia colocou tantos vampiros no meu caminho que eu traumatizei! è.. deve ser isso!

Bjinhos.

Palavras ao Vento disse...

Você tem sorte pra pegar temas que eu gosto. Gosto de livros que vão além da estória e também gosto de dragões medievais e vampiros. Embora hoje em dia tenham "desvirtuado" os vampiros, gosto desse tipo de terror. Beijos Lud.

Rubi disse...

Quanto tempo!
Bom, vamos lá; confesso que gosto de alguns filmes sobre vampiros, mas ainda não cheguei a ler nenhum. Acho que distorceram demais a figura do vampiro hoje em dia. Mas, pela sua resenha me pareceu uma obra fantástica.

Até mais, e obrigada pela sugestão!

Postar um comentário

 
Copyright © But We Got Rain
Blogger Theme by BloggerThemes | Theme designed by Jakothan Sponsored by Internet Entrepreneur